VPD Nova York
Preparativos

Como escolher o seguro viagem para Nova York

O planejamento de uma viagem para Nova York envolve várias etapas e detalhes gostosos (como a escolha da melhor época para viajar, onde se hospedar, quais passeios fazer) e outras nem tanto, mas igualmente importantes. Hoje vou falar de um desses assuntos mais chatinhos mas que todo mundo precisa avaliar com atenção pra evitar dor de cabeça: a contratação do seguro viagem.

Esse assunto e as dúvidas vão muito além da decisão de contratar ou não um seguro viagem e incluem também perguntas importantes como:

  • Como escolher o seguro ideal?
  • Onde comprar?
  • No caso de um problema, como usar?
  • Vale a pena?
  • O que eu tenho direito com o seguro?

Pra te ajudar com todas essas questões, reuni aqui tudo que você precisa saber sobre seguro viagem, para poder viajar tranquilo e curtir ao máximo suas férias em Nova York.

Por que contratar? Vale a pena?

Diferente de outros países, não é obrigatório ter um seguro viagem para entrar nos Estados Unidos, mas isso não quer dizer que você vai ter qualquer tipo de atendimento público por lá. Se nem a maioria dos americanos contam com isso (os atendimentos são privados) imagina os turistas?

Entendo aquele pensamento de “ah, mas eu vou comprar pra não usar?”, e realmente é muito chato gastar com uma coisa que você torce pra não usar – mas é necessário. Ainda que a chance seja pequena, esse é um risco que você não vai querer correr. É só fazer a conta pra ver que é o típico barato que sai caro.

Atendimento pra qualquer coisa nos EUA é MUITO caro e mesmo para comprar muitos remédios relativamente simples (como um anti-inflamatório), você pode precisar de uma receita médica – que você só vai conseguir com uma consulta, paga por você ou pelo plano.

A mudança brusca de clima pode afetar algumas pessoas, por isso é bom estar protegido com seguro viagem!
A mudança brusca de clima pode afetar algumas pessoas, por isso é bom estar protegido!

Independente de você ser super saudável, muitas situações fogem do nosso controle. A chance é pequena mas de tempos em tempos a gente dá azar ué. Acontece! A gente aqui já passou algumas vezes por essa situação de ficar doente em viagem e se você clicar no vídeo aí em cima, pode ver vários depoimentos de gente que passou por isso também. Qualquer um desses casos teria se tornando um rombo no orçamento sem um seguro viagem.

Não quero te assustar nem nada, porque a graaande maioria das vezes são casos fáceis de resolver, mas nos EUA qualquer gripinha vai custar muito caro se você não tiver seguro viagem. Por isso que eu disse que é o clássico barato que sai caro (por mais clichê que seja). Você economiza R$200 reais, mas se precisar, pode voltar pro Brasil com um rombo de 20 (ou 200) vezes esse valor.

Eu sei que a grande maioria das pessoas viaja com o orçamento restrito diante do dólar alto, e existem vários gastos que você pode cortar da viagem (vamos falar deles em outro post no futuro), mas esse não é um desses gastos! O seguro viagem vai custar muito menos que sua passagem e seu hotel, mas eu considero ele tão importante quanto e pode evitar um amargo arrependimento se algum imprevisto acontecer.

Como funciona o seguro viagem

Agora que você já entendeu que precisa contratar um seguro viagem internacional, a dúvida que vem é: e se eu ficar doente, o que eu faço?

Antes de mais nada, tenha sempre todas as informações do seu seguro em mãos e de fácil acesso. Essa é a melhor forma de não se desesperar na hora que precisar de atendimento. Você não vai querer ter que vasculhar todas as suas coisas quando estiver mais nervoso, doente (ou com alguém doente do seu lado), pra conseguir achar as informações do seguro. Facilite a sua vida, se organizando antecipadamente.

Na maioria dos casos, logo após a compra a apólice do seguro você recebe por email todas as informações de cobertura e dos contatos que você pode precisar quando estiver no exterior. Antes de sair do Brasil, já salve os números da central na agenda, deixe uma cópia da apólice salva no celular e se possível, imprima também uma versão pra guardar na mochila ou outro local de fácil acesso. Tá valendo também tirar uma foto do papel com as principais informações para você deixar no celular se for facilitar sua vida.

Caso você precise de atendimento, a primeira medida a ser tomada é entrar em contato com a central do plano, no telefone informado na apólice. São eles que vão te guiar sobre qual o hospital ou clínica mais próximo, o que fazer em relação ao pagamento, e dependendo do seguro contratado e do caso, eles também podem mandar um médico para te atender no hotel ou onde você estiver hospedado.

Em alguns casos, o seguro pode mandar um médico para te atender no hotel
Em alguns casos, o seguro pode mandar um médico para te atender no hotel

Infelizmente não tem como você sair do Brasil já sabendo qual hospital de Nova York vai usar caso seja necessário, até porque você não vai viajar sabendo que tipo de situação de saúde você vai enfrentar na viagem.

O sistema de saúde americano é muito diferente do Brasil. Por isso, o melhor mesmo é sempre perguntar pro seu plano instruções e com isso, garantir também que todos os custos estarão cobertos.

É claro, estou falando isso considerando situações que possam esperar uma ligação. Se você tiver em uma urgência médica mesmo, que não pode esperar a ligação por motivos de gravidade, aí você vai direto pro hospital e resolve com o plano depois. Saúde sempre em primeiro lugar, certo?

E o pagamento?

A questão do pagamento do atendimento é outro ponto que gera muitas dúvidas e que pode variar muito de um plano pro outro. Na verdade um mesmo plano pode trabalhar com formas de pagamento diferente de acordo com o local que você vai ser atendido. Aqui não tem muito segredo, as formas mais comuns são:

  • Reembolso: ou seja, você paga do bolso pelo atendimento e o seguro te reembolsa esse valor. É o mais comum de acontecer.
  • Pagamento direto: em alguns casos, o seguro já acerta tudo diretamente com o hospital ou clínica e você não precisa se preocupar com nada (melhor coisa).
É importante seguir todas as orientações do seguro pra evitar dores de cabeça depois!
É importante seguir todas as orientações do seguro pra evitar dores de cabeça depois!

Para evitar dor de cabeça com o pagamento, o mais importante é sempre prestar atenção nas instruções que a central do seguro viagem vai te passar e seguir todos os passos indicados. Por mais chata que seja toda a burocracia, é importante para que você não tenha nenhum gasto indesejado por uma coisa simples como pegar um comprovante do atendimento. Aliás, se pagar alguma coisa, sempre peça um comprovante por via das dúvidas.

Uma dica: se por acaso você não ficar satisfeito com o hospital, clínica ou consultório indicado pelo plano, não se dê por satisfeito! Não se esqueça de que você contratou esse serviço e que tem direito a um bom atendimento. Ligue novamente na central, explique a situação e peça uma nova indicação. A última coisa que a gente quer em uma situação de doença, ainda por cima em outro país, é ser mal atendido.

Eu mesma nunca precisei de atendimento em Nova York, mas a Rê que mora lá falou que sempre foi bem atendida nas clínicas de atendimento rápido da City MD (preferência dela) e do Northwell Health. Ambas tem várias unidades pela cidade. Dos hospitais ela só conheceu o Mount Sinai quando o Daniel nasceu mesmo e achou ótimo. Você pode ver se o seu plano aceita alguma delas e já direcionar o atendimento (a gente já fez isso algumas vezes também e rolou!).

Outro dica: se você não falar muito inglês e se sentir inseguro com idioma numa situação de atendimento médico, então ao entrar em contato com a central do seguro já pergunte se existe a possibilidade de contar com alguma ajuda para isso. Alguns hospitais e clínicas contam com alguém para ajudar nas traduções e em alguns casos um médico do plano pode ligar e já explicar sobre o caso para o hospital também (aconteceu com o Felipe, marido da Rê, no Japão). Se nada disso resolver, lembre-se do Google Tradutor que é sempre um bom quebra galho e das dicas pra se virar sem inglês que já demos aqui.

Qual seguro viagem contratar?

São muitas as opções de seguro viagem, com muitas diferenças na cobertura, então vale a pena pesquisar com atenção para entender o que está ou não incluído em cada um, comparar os preços e decidir qual seguro te atende melhor.

Alguns sites comparadores, como a Seguros Promo pesquisam várias seguradoras diferentes ao mesmo tempo, listam os preços, as vantagens e as coberturas de cada um, permitindo inclusive que você compare diferentes planos pra ter uma idéia melhor do que cada um oferece e do que vale mais a pena pra você.

É importante entender o custo-benefício de cada plano de seguro viagem
É importante entender o custo-benefício de cada plano de seguro viagem

O preço do seguro vai depender de diversos fatores como a duração da viagem, a idade dos viajantes e o que exatamente está incluído no seguro. Você vai ver que cada cobertura inclui itens diferentes, de coisas que você nem tinha pensado. A maioria delas não terá muita importância. O principal mesmo é você se atentar ao valor da assistência médica fornecida pelo plano.

Essa assistência é o valor a que você tem direito no caso de um atendimento: seja uma consulta, uma internação ou mesmo uma cirurgia. Precisa ser pelo menos razoável para que você possa contar com isso no caso de uma doença. Os valores de cobertura nos seguros costumam começar em $15 mil dólares e podem chegar até a $300.000 mil.

Isso não quer dizer que você precisa contratar o plano mais caro e pronto, da mesma forma que o mais barato pode não te dar uma cobertura médica tão grande. O melhor mesmo é buscar sempre um equilíbrio dentro das opções: um plano com um bom valor de assistência, mas que não comprometa tanto seu orçamento.

Outro ponto para prestar atenção na hora de contratar o seguro é se ele cobra ou não por franquia. Não é super comum, mas algumas opções de plano, justamente as de menor valor, cobram um valor de franquia, seja ela por qualquer evento ou só para determinados eventos, como para despesas médico hospitalares (chamada de franquia DMH).

Por exemplo, se a franquia do plano contratado for de $100 por DMH, cada vez que você precisar de algum atendimento hospitalar, terá que desembolsar $100. Se tiver que ir 2 vezes ao hospital, seu gasto total será de $200. Nesse caso, você paga a franquia, mas o valor do atendimento é coberto pelo plano normalmente. 

Alguns seguros cobrem também extravio de bagagem

Como muitos seguros viagem cobrem mais que apenas despesas médicas, mesmo que a maioria dos itens da cobertura não sejam tão úteis, nunca é demais saber de toda a assistência com que você pode contar, né? Você já pagou mesmo, é bom saber dos recursos que tem.

Muitos seguros incluem cobertura odontológica, seguro por cancelamento de viagem, atraso de voo, assistência jurídica, assistência em caso de perda ou roubo de documento, e um que valorizo muito: o seguro no caso de mala extraviada. Já passei por alguns perrengues nesse sentido e a ajuda do seguro foi super útil.

Não estou dizendo que você precisa contratar um seguro que cubra todos os imprevistos possíveis e imagináveis. Uma boa assistência médica é o foco, mas leia com atenção tudo o que está sendo oferecido, pois quando a gente menos espera pode precisar.

E se ficar na dúvida, pergunte! Seja enquanto está cotando os planos ou mesmo depois de adquirido. Eu acho que é melhor ter dúvida antes de sair do Brasil do que na hora de uma emergência, não é mesmo? Então já cheque todos os detalhes com antecedência.

Outras formas de ter seguro viagem 

Para quem tiver um bom plano de seguro saúde no Brasil, vale verificar se eles oferecem algum tipo de cobertura internacional, qual o valor da cobertura, se existe alguma taxa adicional, e claro, como funciona caso você precise acioná-los.

Outra forma comum de conseguir o seguro viagem é através do uso de determinados cartões de crédito. Admito que eu já viajei sim só com o seguro do cartão, já precisei usá-lo e deu tudo certo, mas por sorte foi em uma situação em que não precisei ficar internada e nem nada do tipo, apenas uma consulta e antibióticos. Digo que foi por sorte porque os valores de assistência médica costumam ser mais limitados, mas cada cartão tem suas regras e vale a pena entender direitinho como funciona no seu caso. 

Entenda todas as condições do seguro viagem oferecido pelos cartões de crédito!
Entenda todas as condições do seguro viagem oferecido pelos cartões de crédito!

Tem gente que tem cartões melhores que o meu e tem direito a cobertura maior, mas na maioria dos cartões, em casos mais graves, a cobertura pode não ser o bastante e você pode acabar tendo que pagar do bolso.

E lembre-se que a maioria dos cartões que oferecem seguro tem como regra o pagamento integral da passagem aérea com o cartão, então entenda certinho tudo isso para saber se você realmente estará protegido com esse seguro.

Seguro viagem durante a pandemia

O que estamos vivendo nos últimos meses é algo sem precedentes, e desde que a situação do coronavírus passou a ser uma pandemia, a grande maioria dos seguros viagem, por contrato, passou a cobrir apenas o primeiro atendimento emergencial e o diagnóstico da doença. Qualquer atendimento depois disso ficaria por conta do viajante. 

O cenário vem mudando e algumas empresas de seguro viagem já estão oferecendo cobertura de tratamentos em decorrência do diagnóstico do coronavírus. Pode ser que a quantidade de empresas oferecendo essa cobertura aumente, à medida que uma vacina chegue e as pessoas comecem a ser imunizadas, então seguiremos atualizando aqui com novidades.

A gente espera que tudo volte ao normal em alguns meses, principalmente com a aprovação de uma vacina, mas, se você for viajar antes disso, não deixe de se atentar para essas informações na hora de contratar seu seguro viagem.

Espero que essas dicas te ajudem a escolher o seguro que se encaixe melhor na sua viagem e principalmente que você NÃO precise usá-lo depois! 🙂