VPD Nova York
Onde Comer

Comida em Nova York: dicas práticas pra aproveitar ainda mais

Pra mim, a comida é parte bem importante de curtir qualquer viagem e Nova York é uma das melhores cidades para quem também pensa assim. O turismo gastronômico é o mais variado possível, com opções para todos os bolsos, mas tem uma dinâmica um pouco diferente de outras cidades turísticas.

Você com certeza vai achar muita coisa gostosa pra comer enquanto estiver em NY, mas resolvi contar aqui sobre alguns pequenos costumes locais e dicas práticas que podem te ajudar a aproveitar ainda mais! 

Dicas para aproveitar mais a comida em Nova York

Reserve antes

Se você pretende visitar qualquer restaurante que aceita reserva, o ideal é você garantir a sua antes de sair de casa/hotel. Assim você evita se deslocar até lá e não conseguir sentar. 

Não existe uma regra única aqui e muitos restaurantes nem aceitam reserva, mas se você quiser muito conhecer um que aceite, faça a sua ué!

Alguns restaurantes vão te exigir fazer uma reserva com antecedência de poucos dias e se você der sorte, pode até conseguir uma reserva no mesmo dia. Já em outros casos, conseguir uma mesa pode se assemelhar ao nível de competição dos Jogos Vorazes. Se você conseguir uma reserva na Rubirosa, por favor me convida pra ir junto, tá? 🙂  

Keens Steakhouse é um dos muitos restaurante difíceis de conseguir reserva no mesmo dia

Eu acho que mesmo nos lugares que permitem que você espere por uma mesa caso não tenha reserva, você deveria reservar em vez de só aparecer. Vamos lembrar que o tempo que você fica esperando por uma mesa poderia ser usado pra fazer alguma coisa bem mais legal. Então sempre que for possível, reserve e evite filas.

A grande maioria dos restaurantes usa o Open Table para aceitar suas reservas online, sem nenhum tipo de taxa nem necessidade de dar dados do seu cartão (mas por favor, não vá marcar e não aparecer depois, hein?). O processo é bem fácil, então sem desculpar para não fazer! 😉  

Comendo bem, gastando menos

Alguns restaurantes oferecem no almoço um menu diferente, com preços reduzidos – às vezes acompanhado de porções reduzidas também, mas ainda assim de um tamanho legal. Se você quer comer bem sem gastar tanto, essa pode ser uma boa solução.

Além da economia, uma pausa no almoço é sempre um bom jeito de descansar um pouco da andança durante um dia de passeio pela cidade.

Falando em gastar menos, além de olhar o cardápio do almoço, sempre vale ver se há alguma outra promoção no calendário dos restaurantes que você quer conhecer. Um exemplo: taco tuesday (terça de tacos) traz ofertas especiais em várias casas especializadas em comida mexicana. 

Se você curtir muito um lugar, de repente checar o instagram deles desde antes da viagem ou se inscrever em uma lista de emails, pode ser um bom jeito de ficar por dentro das ofertas (aliás, isso super vale pra ofertas de lojas também, viu?).

O que você vai encontrar? Não sei! Vai variar bastante de um lugar pro outro – e claro, pode ser que você não encontre promoção nenhuma também, mas não custa nada checar, né?

Prefira horários alternativos

Fugir dos horários óbvios para almoço e jantar te ajuda a evitar filas em restaurantes de qualquer lugar do mundo, e aqui em NY não é diferente. Você vai ter mais chances de conseguir sentar sem reserva ou mesmo de conseguir reservar uma mesa de última hora, em horários alternativos. Aliás, essa dica é especialmente válida para restaurantes que de tão disputados, não aceitam reservas e formam filas intermináveis muitos dias. 

Quer um exemplo? O Via Carota! Esse restaurante italiano queridinho de muitos locais e turistas chega a ficar com mais de 3 horas de espera pra quem quer uma mesa a partir das 18h, mas chegando por volta de 16h30, você deve conseguir sentar depois de poucos minutos. Se você estiver em Nova York de férias, use a sua flexibilidade com horários à seu favor! 

No próprio Google, você consegue ver um gráfico da lotação média dos restaurantes por hora. Uma ferramenta simples que pode te ajudar a decidir que horas você vai comer. É só jogar o nome do restaurante e ver aquela fichinha que aparece nos resultados, sabe?Que nem da imagem aí embaixo.

Gráfico do Google que mostra os horários mais cheios e mais vazios dos restaurantes
O gráfico mostra quais são os horários mais cheios e qual é a espera estimada

Aceita cartão?

É até que bem comum restaurantes que não aceitam cartão por aqui, então ande sempre com um pouco de dinheiro em espécie ou verifique a política da casa antes de sentar pra comer, pra evitar precisar achar um caixa eletrônico de última hora. 

O Totto Ramen que a Bia tanto ama é um dos exemplos. O Bar Pitti é outro, mas pelo menos agora eles tem um caixa eletrônico ali no restaurante mesmo. Pelo sim, pelo não, o melhor é ter um dinheirinho em mãos.

Menu diferente no brunch

Os brunches invadem boa parte dos restaurantes de Nova York nos finais de semana, e todo mundo ama! Pra quem não sabe, brunch é aquela refeição que fica no meio do caminho entre café da manhã e almoço (daí o nome, que é a mistura de breakfast e lunch).

É a cara do final de semana em Nova York justamente por ser aquela refeição onde tudo é permitido: tomar um drink de manhã, comer panqueca na hora do almoço ou batata frita junto do café com leite. Não tem regras, nada faz sentido, mas fica uma delícia. Impossível não amar!

Participar de um brunch pode ser uma programação bem gostosa durante a sua viagem, mas independente da sua vontade de incluí-lo nos seus planos, é importante você saber que muitos restaurantes oferecem um menu diferente nos finais de semana, especialmente nesse horário do almoço e café – o tal menu do brunch. 

Comida do Bubby's, restaurante delicioso para brunch
Muitos restaurantes oferecem menu diferente para brunch aos finais de semana

Ou seja, pode ser que você consiga aquela reserva no restaurante tão desejado, mas em vez de encontrar aquela massa ou carne que você queria tanto, vai encontrar panquecas e omeletes no cardápio. Tudo bem que o menu de brunch inclui alguns dos pratos mais tradicionais dos restaurantes (puxando o lado mais almoço do que café da manhã), mas muitos pratos legais também ficam de fora e eu diversas vezes já me senti limitada por isso. 

Eu amo brunch, mas as vezes detesto essa mania. Como tenho 2 filhos pequenos, a gente só consegue sair pra restaurante com calma (“calma” né. 2 filhos, lembra?) no almoço dos finais de semana, e acabamos ficando mais limitados aos menus de brunch em muitos casos. 

Por isso, se você quiser visitar um restaurante pensando em um tipo de comida específica, querendo ter a oportunidade de explorar todo o seu cardápio ou até se você estiver mirando um determinado prato que você já está namorando faz tempo (eu sou dessas), prefira ir durante a semana. Ou então, verifique antes se o cardápio de brunch (caso tenham um mesmo) te atende bem, antes de incluí-lo na sua programação de final de semana. 

Isso dito, fica a dica: tem muito brunch beeeem gostoso em NY. Vale a pena, viu? Esta é a especialidade de muitos restaurantes inclusive – foque nesses no final de semana. De todo jeito, acho sempre legal dar esse aviso sobre o menu diferente de brunch pra você poder escolher se é o que você quer ou não. 

Mais da comida do bubby's
O Bubby’s é um restaurante que super vale a pena ir no brunch mesmo, mas nem sempre este é o caso.

Comida dos Food Halls

Ta aí um negócio que eu amo DEMAIS! Os food halls são como praças de alimentação melhoradas, com quiosques dos mais diversos, selecionados para garantir uma mescla bem interessantes de opções de diferentes gastronomias no mesmo espaço. 

Além de ser um lugar recheados de opções super gostosas, como o esquema é mais fast-food (o que não significa só hambúrguer e pizza), fica sempre mais fácil manter o orçamento sob controle e evitar surpresa na conta.

Uma das muitas opções de comida do DeKalb Food Hall
Os restaurantes trazem versões mais rápidas de pratos clássicos

Muitos restaurantes queridos da cidade aparecem também nos Food Halls, com alguns dos seus pratos mais clássicos. É o jeito mais rápido e “sem enrolação” de conhecer muita comida boa de diversas culturas em Nova York. Também é ótimo para os indecisos como eu, que podem experimentar várias coisas no mesmo dia.  

Nova York tem vários Food Halls e eu estou bem longe de conhecer todos (quem me dera), mas o meu preferido até hoje é a do DeKalb Market Hall, no Brooklyn. Logo que a gente mudou pra Nova York, ficamos alguns meses em um apartamento provisório no prédio ao lado desse food hall e como nossa mudança ainda estava pra chegar, ele foi o responsável pela base da nossa alimentação por algumas semanas. Bons tempos!

Todos os dias, eu voltava mais maravilhada de lá! Ele nem precisava disso para me atrair, mas o fato do DeKalb Market Hall ficar no mesmo local que um Trader Joe’s, Century 21 e uma Target só me fez amá-lo ainda mais.

Além de tudo o DeKalb Food Hall é o espaço mais estiloso do tipo!
O Dekalb Market Hall é o meu preferido!

Depois que mudamos pra Manhattan, também fui em vários ótimos, mas nenhum ganhou meu amor como o DeKalb Market Hall. Acho que ainda vou escrever um post só sobre ele no futuro, mas a verdade é que tem vários outros excelentes food halls pela cidade, como o Urbanspace, Gotham West Market, Time Out Market (esse no Brooklyn também, e com uma vista linda), entre outros. Escolha um no seu caminho e aproveite!

Uma experiência com a cara de Nova York, que cabe no bolso e te permite “bicar” comidas de diversas culturas no mesmo dia. Já entendeu o motivo de todo meu amor, né?

Tem muita comida boa e uma vista linda no Time Out Market.
O Time Out Market é um desses food halls

Pra quando estiver com pressa

Nos dias mais corridos, você pode querer comer uma coisa rapidinha só pra matar a fome e continuar passeando. Nesses casos, os diversos food trucks e até carrinhos de cachorro quente ou de comida Halal podem ser boas opções.

Eles estão praticamente em qualquer esquina da cidade e não precisa ficar com preconceito não! Tem muita comida de rua muito boa em Nova York e tem opções bem diferentes. Aliás, esse é o tipo de comida que muita gente que mora aqui e trabalha fora, opta no dia a dia. 

Comida de carrinhos na rua são sempre um recurso rápido e prático. Não precisa ficar com preconceito, viu?
Esses carrinhos ficam espalhados pela cidade toda!

Não se engane pelas aparências

Nessa mesma linha das comidas de rua, fica essa dica do fundo do meu coração: nunca julgue um restaurante por sua aparência. Sabe aquela velha história de quem vê cara não vê coração? Então! Aqui tem muito muquifo que serve uma comida incrível e restaurantes refinados com gosto de requentado.

Tem restaurantes com décadas de fama, que perderam o brilho da sua cozinha, e outros na mesma linha, que continuam espetaculares. Tem lugares caros que valem cada centavo e outros que nem tanto. É até difícil separar o que vale a pena ou não, mas a aparência com certeza não é o melhor critério para isso.

Para escolher bons lugares, o melhor é pesquisar ou perguntar. Seja num canal de YouTube, num blog (cof cof, o meu! :P), seja com seus amigos, ou mesmo no Yelp (aplicativo super útil pra isso), você deve conseguir ter idéia do que é furada e conseguir boas indicações no lugar. E se for feio, não significa que não é legal, tá? 😉

Esteja preparado para mudanças

As vezes você viu num blog, no instagram do seu amigo ou em um vídeo do YouTube um prato maravilhoso que você ficou sonhando em experimentar. E então, quando finalmente chega a sua viagem, você descobre que ele não existe mais.

Não estou dizendo que isso vai acontecer sempre, mas pode acontecer, então esteja aberto para essa possibilidade. Aqui as coisas mudam muito rápido e menus mudam também.

De repente o chefe não tá mais afim de fazer aquele prato. Aconteceu com um dos pratos mais famosos do Via Carota por exemplo. Antes o prato mais famoso era uma massa linda com presunto parma e agora é uma SALADA! A salada é ótima mesmo, mas pra quem queria a massa pode ser meio chato, né?

O Miznon foi outro, que abriu uma unidade no Upper West Side com um cardápio que eu amava (bem parecido com o da unidade no Chelsea Market), com um dos meus cheeseburgers preferidos da vida – e poucos meses depois, mudou completamente a proposta dessa unidade. Acabou com a minha graça.

Isso tudo sem falar na possibilidade do restaurante que seu amigo te indicou ter virado um estúdio de tatuagem ou uma loja de velas. Vai saber!

entrada do Miznon, exemplo de restaurante que alterou o cardápio.
Se programe, mas esteja preparado para as mudanças!

De qualquer forma, a mudança mais provável que vale você se atentar é com relação aos menus sazonais de alguns restaurantes. Por exemplo, os menus com trufas brancas e negras (não a de chocolate né), invadem muitos restaurantes de setembro a janeiro, e depois quase somem dos cardápios.

Só não digo que somem totalmente porque seria mentira, já que o nova iorquino tem mania de tudo trufado (nada contra, inclusive amo essa mania). Mas os restaurantes que prezam por trufas frescas e de melhor qualidade, só oferecem pratos com esta iguaria durante a chamada “temporada da trufa” mesmo. Se você vier com expectativa de encontrar um prato cheio de trufa ralada em cima, melhor vir na época certa.

Resumindo: não se apegue a nada! Se você não achar aquele prato específico que queria, outras opções de comidas incríveis não vão faltar.

Pizza de trufa em setembro. Tradição de quando a Bia visita!
Dependendo da época tem trufa até na pizza 😛

Comida de supermercado

Os supermercados de Nova York tem estilos muito particulares e você já pode dizer muito sobre uma pessoa de acordo com o local que ela escolhe pra fazer suas compras. Poderia ficar aqui falando dos estilos em cada supermercado, mas o que importa mesmo é você saber que os supermercados daqui podem ser um baita quebra galho para diferentes momentos.

placa trader joe's
Caso você esteja se perguntando sobre a personalidade do Trader Joe’s, é essa aí.

Das comidas prontas, frias e saudáveis do Trader Joe’s para quem quer economizar e comer rapidinho, às cestas de piquenique do Zabar’s pra você comer no Central Park, aos sanduíches e saladas do Citarella ou o super buffet do Whole Foods. Nenhum deles vai ter a comida que vai mudar a sua vida, mas são ótimas cartas na manga quando você só quer dar uma tapeada e continuar passeando ou pra economizar também.

Comidas rápidas de supermercado as vezes quebram um galho.
Comidinha de supermercado as vezes quebra um galho

Não esqueça desses custos e evite surpresas

As gorjetas são parte integrante do salário da galera que trabalha duro nos restaurantes, e não um bônus como algumas pessoas podem pensar. Por isso, é sempre muito importante levar em consideração esse custo adicional ao entrar num restaurante. Essa é a prática em todos os lugares nos EUA e a gorjeta normalmente não vem incluída na conta, então verifique para incluir você mesmo, tá? 

O mais comum aqui é deixar 18% de gorjeta para um serviço normal. Se você tiver um serviço excelente pode decidir deixar mais (20-22% é uma boa sugestão para um serviço excelente). Se o serviço não for legal, tem quem deixe só uns 15%, mas menos do que isso, você pode passar uma mensagem quase ofensiva para alguns prestadores de serviço.

conta de um restaurante de Nova York
Lembre-se de considerar o valor da gorjeta na conta!

Além disso, na hora de calcular os seus gastos, lembre-se que além do valor que você vê no cardápio, você também precisará pagar o imposto (tax) que será adicionada no final da sua conta. Ao todo serão quase 9% a mais na conta referente só ao imposto.

Aproveite!

Olha, pode parecer dica boba, mas eu acho a mais importante aqui! Se você estiver com viagem marcada para Nova York e gosta de curtir o momento de comer, aproveite MESMO! Experimente os lugares locais, belisque alguns dos docinhos do nosso top 10 doces de NY, conheça comidas novas que você nunca tinha ouvido falar. Acho que a gastronomia é sim um dos muitos aspectos em que Nova York abre nossos horizontes, então coma bem e se divirta!

o famoso cronut, uma das comidas deliciosas de Nova York
Faça valer a viagem e aproveite mesmo!

Como eu disse antes, são dicas simples mesmo, mas que acho que podem te ajudar (espero que sim) a curtir as comidas daqui da melhor forma possível. Mesmo morando aqui, Nova York não cansa de me surpreender e comida é grande parte das surpresas positivas que vivo nessa cidade. Aproveite que você vai estar viajando,  andando bastante nos passeios e coma bem, sem qualquer culpa, hein? 😀